quinta-feira, 24 de abril de 2014

Penachos - Erva-toira (Orobanche crenata)



Designação comumPenachos, ou Brincalheta. Também é designada por Erva-toira, nome comum a outras espécies do género Orobanche;
Designação científicaOrobanche crenata Forssk.;
FamíliaOrobanchaceae;
Distribuição: Sul da Europa, Norte de África e Sudoeste da Ásia, não se excluindo a eventualidade de ter sido introduzida noutras regiões;
Plantas hospedeiras: Como é sabido, as plantas do género Orobanche não possuem clorofila, pelo que para se alimentarem e se desenvolverem são forçadas a parasitar outras plantas (as hospedeiras). No caso da Orobanche crenata é voz comum que as plantas por ela parasitadas são geralmente leguminosas (Fabaceae) .
(Local e data: Azoia - Cabo Espichel; 23 Abril -2014)

sábado, 12 de abril de 2014

Muscari neglectum





Muscari neglectum Ten.
Erva vivaz, bulbosa (tipo fisionómico: geófito) de pequenas dimensões (até cerca de 20 cm de altura). 
Família: Asparagaceae.
Diistribuição: Europa Central, do Sul e do Leste, Cáucaso, Oeste da Ásia e Norte de África. Em Portugal, a sua ocorrência está limitada ao Algarve, Baixo Alentejo, Estremadura, Ribatejo, Beira litoral e Alto Douro.
Floração: de Março a Junho.
(Local e data: Serra do Risco -  Arrábida; 11 - Abril -2014)
(Clicando nas imagens, amplia)

domingo, 6 de abril de 2014

Erva-do-salepo (Orchis morio)




Erva-do-salepo *(Orchis morio L.**)
Erva vivaz com 2 ou 3 raízes tuberosas (tipo biológico: geófito) da famíliaOrchidaceae, com hastes florais que podem atingir até cerca de 30 cm.
Distribuição: grande parte da Europa (até ao sul da Noruega), Oeste da Ásia e Marrocos. Em Portugal distribui-se por quase todo o território do Continente, mas ausente nos Arquipélagos da Madeira e dos Açores. No Continente, as excepções no que respeita ao seu aparecimento, serão as regiões do Minho e Douro Litoral e também, provavelmente, o Alto Alentejo.
Ecologia/habitat: Prados de sequeiro, clareiras de matos, orlas de bosques, frequentemente em lugares soalheiros, sobre qualquer tipo de substrato, mas, aparentemente, com preferência por solos calcários e argilo-xistosos.
Floração: de Março a Junho
*Outros nomes comuns: Testículos-de-cão; Fatua.
** SinonímiaAnacamptis morio (L.) R. M. Bateman, Pridgeon et M. W. Chase;Orchis champagneuxii Barnéoud; Orchis picta Loisel. var. champagneuxii(Barnéoud) Mendonça et Vasc.; Orchis morio L. subsp. picta (Loisel.) Rchb. var. champagneuxii (Barnéoud) P. Cout.; Orchis morio L. subsp. picta (Loisel.) Rchb. var. genuina P. Cout.; Orchis morio L. var. picta (Loisel.) Rchb.;
(Local e datas: Cabo Espichel - Arrábida;  13 - Março - 2014)

terça-feira, 1 de abril de 2014

Salva-do-sul (Salvia sclareoides)

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

(7)
Salva-do-sul *(Salvia sclareoides Brot.)
Erva vivaz (tipo biológico: proto-hemicriptófito) viloso-glandulosa, de caules (15 a 50 cm) erectos, simples ou escassamente ramificados; folhas basilares ovado-oblongas, com margens crenadas ou serradas, com superfície rugosa, com "bolhas"; as caulinares, pouco numerosas, mais pequenas, sésseis; flores com corola tubular, bilabiada, de cor púrpura ou violácea, raramente branca, dispostas (3 a 6) em número variável de verticilastros em inflorescência racemosa.
Distribuição: É um endemismo ibérico que ocorre apenas no Sudoeste da Península, com presença limitada ao Algarve, Estremadura e Beira Litoral, do lado de cá da fronteira.
Ecologia/habitat: terrenos relvados, ou incultos, frequentemente pedregosos, sobre solos calcários, margosos ou argilosos.
Floração: de Março a Julho.
*Outros nomes comuns: Esclareia-bastarda; Salva-viscosa-dos-montes.
[Local e datas: Serra da Arrábida; 30 - Abril - 2012 (foto 7) 15 - Abril - 2011 (foto 5); 8 - Março - 2014 (fotos restantes)]