quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Pepino-de-São-Gregório (Ecballium elaterium)




Pepino-de-São-Gregório * [Ecballium elaterium (L.) A.Rich.]
Erva perene (tipo biológico: hemicriptófito) monóica (subsp. elaterium) ou dióica (subsp. dioicum) da família Cucurbitaceae. Apresenta caules (20 a 150 cm) em geral, ramificados, grossos, procumbentes ou prostrados.
Distribuição: Região Mediterrânica e Macaronésia. Autóctone no Continente e introduzida nos Açores, a espécie não é, aparentemente, muito comum em Portugal, sendo a sua ocorrência mais frequente nas regiões a sul do Tejo.
Ecologia/Habitat: terrenos baldios, terrenos revolvidos, muros, edifícios e espaços públicos abandonados e/ou em ruínas.
Floração: de Abril a Novembro.
* Outros nomes comuns: Pepino-do-diabo; Pepino-bravo.
Nota: A planta, é usada em fitoterapia, sendo indicado o seu uso para mais que uma situação. Pelo que me é lícito deduzir dos comentários a este "post", a sua utilização será recomendada, em especial, para casos de sinusite. Trata-se, no entanto, de uma planta tóxica, pelo que todo o cuidado posto no seu uso é pouco. Entre os comentários a que me refiro há um bom exemplo do que pode acontecer em casos de utilização imprudente.
(Local e data: Sesimbra - Serra da Arrábida; 27 - Setembro - 2014)

2 comentários:

  1. Olá Francisco. Boa noite.
    Esta planta, na medicina tradicional, é usada externamente para tratar problemas de pele como a sarna. Também a raiz serve para tratar a dor ciática, nevralgias, reumatismo. Contudo, a fazer fé no que nos diz o Mestre José Salgueiro, devem os tratamentos ser acompanhados por um técnico experiente, já que a planta é tóxica.

    Um abraço

    João

    ResponderEliminar
  2. Obrigado,amigo, pela sua contribuição.
    Abraço.

    ResponderEliminar